Engana-se quem acredita que existem pessoas perfeitas! Até os nossos mentores, gurus, mestres, professores e afins, são dotados da perfeição de serem imperfeitos. O conceito de perfeição está descrito no dicionário como O grau de excelência, bondade ou beleza a que pode chegar alguma coisa.

Entendo que o maior grau de excelência, bondade e beleza, reside na nossa imperfeição que é absolutamente perfeita! Convido-te a refletires sobre a perfeição e o que ela significa para ti!

Muitas vezes colocámos imensa pressão sobre nós mesmos e sobre os outros, porque temos que ser perfeitos, porque tudo tem que ser feito de uma forma perfeita, porque tudo tem que correr de uma forma perfeita, porque o nosso parceiro/a tem que ser perfeito/a, e a lista continua… Não! Somos seres humanos e como tal, imperfeitos! Erramos e erramos muito ao longo da nossa vida! Nunca poderíamos ser perfeitos, pois a vida não teria o mesmo sabor, os desafios e processos de crescimento não fariam qualquer sentido! Podes perguntar: então os desafios e as contrariedades não servem para crescermos e nos aproximarmos mais da perfeição? Sim e Não! Não, pois a perfeição como sendo perfecionista é pressão, é penoso, é doloroso e só traz sofrimento! Sim, pois a perfeição é sermos imperfeito e aqui os desafios e contrariedades servem para crescermos, evoluirmos, compreendermos a nossa natureza imperfeita e errar mais e errar melhor! Servem para nos aproximarmos da nossa essência e respeitá-la como perfeitamente imperfeita! Servem para nos conhecermos mais e melhor, servem para nos honrarmos e aos outros, aceitando que ninguém é um Ser idílico, aceitando que a nossa dimensão humana assenta na vivência constante de ciclos de transformação, de evolução e elevação da consciência, onde nos tornámos perfeitos na nossa imperfeição!

É claro que podemos gostar de realizar o nosso trabalho de forma exímia e com rigor, no entanto, não nos devemos tornar perfecionistas ao ponto de nos pressionarmos e nos colocarmos em constante avaliação e julgamento. Existe um pressuposto da PNL (Programação Neurolinguística) que diz que o fracasso não existe, apenas feedback. Considero este pressuposto riquíssimo, pois se o considerarmos com mais seriedade veremos que realmente os nossos erros, fracassos, derrotas, etc, não são mais do que um feedback, são consequência de ações e comportamentos que geraram um determinado resultado! Ora, aqui existem duas ideias fundamentais, a primeira é que poderemos sempre aprender com os resultados e feedbacks que vamos tendo ao longo da nossa vida e eventualmente ter outras ações e comportamentos que nos deem o resultado que pretendemos; a segunda ideia é a leveza com que podemos e devemos olhar para os nossos erros e resultados como sendo aprendizagens, feedbacks e não como uma condenação e consequente rotulação de fracasso. É legítimo querermos bons resultados, é legítimo sermos exigentes e notáveis nos nossos trabalhos e atuações, no entanto, não considero de todo saudável uma constante busca pelo perfecionismo em tudo o que fazemos e principalmente em tudo o que somos!

Todos temos receios, anseios, vergonhas, reservas, dúvidas e efetivamente todos erramos! É necessário perceber que ser perfecionista é completamente diferente de ser excelente! Quando vivemos em excelência, vivemos em bondade, em beleza e leveza com a nossa imperfeição que é perfeita! Vivemos conscientes das nossas emoções, sentimentos, formas de ser e estar que vão mudando ao longo do tempo, que vão evoluindo, que passam por estágios e ciclos infinitos, e assim é a vida, uma constante roda viva onde nos transformamos, conhecemos, progredimos e respeitámos como seres im(perfeitos).

As pessoas mais fortes e corajosas que conheço, são pessoas que mostram realmente quem são, com as suas vulnerabilidades que as tornam autênticas e perfeitas! E a perfeição para mim acontece quando de facto és forte o suficiente para teres a coragem de ser vulnerável e imperfeito/a.

Esta é a minha definição de perfeição: quando és excelente na tua vulnerabilidade, forte e corajoso/a para aceitares e seres esse Ser perfeitamente imperfeito com bondade, leveza e sem julgamentos!

Qual é a tua definição de perfeição? Como é que a vives?

 

Artigo escrito para a Revista Mindset Magazine*

Partilhar este artigo...