O tema dos relacionamentos é recorrente em sessões, principalmente quando estas terminam!

É normal darmos atenção a esta área de vida e é normal e recomendável que queiramos relacionamentos mais satisfatórios, mais conexão entre o casal, mais cumplicidade e intimidade! É aconselhável realizar trabalho neste sentido! Contudo, há relações que terminam! E claro que há variadíssimas razões para as relações terminarem, e sim, cada caso é um caso, cada casal é um casal. As pessoas são diferentes, os contextos são diferentes…daí que seria um erro generalizar e dizer que as relações acabam todas pelos mesmos motivos! Este artigo é para aquelas pessoas que, sentem que estavam inteiras e dedicadas nas suas relações, que investiam no sentido de as tornar mais prazerosas e saudáveis, e que foram “deixadas”! Sim! Há casos em que a pessoa que foi “deixada” não percebe o porquê, não entende onde falhou e nem sequer sabia que algo não estava bem na relação!

Poderíamos especular acerca deste assunto e explorar estes conteúdos com a pessoa em questão, pois certamente existem aqui sinais e dados que nos vão responder aos “porquês”, “comos”, “quandos” e haverá uma explicação para o final do relacionamento. Contudo, esse trabalho é realizado nas sessões e de forma individual. Aqui, quero dar-te uma visão diferente desta situação!

É frequente ficar fixado/a neste tipo de pensamento: “Ele/a deixou-me! Perdi a pessoa que eu amava! Acabou tudo”, é como um loop que não te deixa virar a página, não há outros significados, não há outras formas de ver a situação e a tua auto-imagem, a tua auto-estima e auto-confiança ficam afetadas com esta situação, começando uma fase de desvalorização e auto-depreciação.

Quando aprendemos a re-significar as situações que nos acontecem e quando aprendemos a ver e sentir o que nos acontece numa outra perspetiva, tudo muda! Então, se foste deixado/a por uma pessoa que amavas, quem é que perdeu realmente? Foste tu que perdeste uma pessoa que não quer mais uma relação amorosa contigo, ou foi a outra pessoa que perdeu alguém que a amava? Qual dos dois sofre realmente uma perda? Seja ela mais ou menos consciente…

É importante re-significar, é importante que não deixes o teu valor ser afetado porque alguém não quer mais um tipo de relacionamento contigo! Sei que dói, sei que custa muito… e sei que dói mais e custa mais ainda deixares de amar a pessoa mais importante da tua vida que és tu, por uma relação falhada!

Afinal de contas, queres ter alguém na tua vida que te ama verdadeiramente ou queres ter alguém que não está por inteiro? Numa espécie de “paz podre”? É melhor que as pessoas que não te amam saiam da tua vida ou permaneçam ocupando espaços e continuando a fazer com que te sintas vazio/a?

Foste tu que perdeste uma pessoa que não te amava, ou foi a pessoa que perdeu alguém que o/a amava?

Procura ver a situação de outra perspetiva e talvez chegues à conclusão que afinal não perdeste nada… talvez até tenhas ganho…!

Partilhar este artigo...